Sílvia Floresta

 

Desde criança que tem uma enorme paixão pela vida no campo, plantas, sementes, animais e pessoas!

Estudou botânica e regeneração de solos. Trabalhou durante alguns anos no Parque Natural de Sintra onde aprendeu e desenvolveu inúmeras competências, desde propagação de plantas, recolha e conservação de sementes, reconhecimento de pragas e doenças em plantas (árvores), jardinagem histórica, manuseamento de máquinas de jardinagem e agricultura.

Trabalhou com 900 espécies vegetais da flora da região ( Sintra) onde metade são espécies mediterrânicas e cerca de 10% são plantas das várias regiões do mundo, apenas encontradas em áreas específicas. As restantes são plantas ameaçadas que encontram na serra de Sintra as condições para proliferarem.

Um dos seus trabalhos principais é a recolha e conservação de sementes de espécies altamente ameaçadas.

Em 2008, fundou o projecto de educação ambiental – Permacultura nas Escolas e desde então tem trabalhado com várias escolas, Agenda 21, dentro e fora da sua comunidade, em conjunto com várias Câmaras Municipais ( Lisboa, Almada, Sines, Mafra).

Ao longo do seu percurso, tem desenvolvido várias formações relacionadas com a sustentabilidade tais como recolha e conservação de sementes, agricultura regenerativa, permacultura urbana, permacultura nas escolas, hortas em pequenos espaços, permacultura na cozinha, produção de sabonete artesanal natural e várias oficinas “faz tu mesmo”.

Envolveu-se em vários projectos de hortas comunitárias, envolveu-se activamente e de forma voluntária na campanha pela sementes livres, participando na recolha de variedades tradicionais junto dos agricultores.

A viagem continuou até à Austrália no Permaculture Research Institute onde estudou Terraplanagem em permacultura ( movimentos ou trabalhos de terra), projetos de ajuda humanitária em permacultura, formação de professores em permacultura, Permacultura urbana, recolha e conservação de sementes, biologia do solo, compostagem, fertilizantes naturais, biodinâmica, silvicultura, estufas, sistemas de animais, bosques de alimentos, hortas urbanas, agricultura biológica, design em arquitectura ecológica, sistemas energéticos, aquacultura, estabelecimento de comunidades, angariação empoderada de fundos.

Desenvolve vários cursos em Portugal e outros países com outros professores.

Tem uma enorme paixão por sementes e acredita que o futuro das variedades tradicionais é a sua preservação e a liberdade para todas as sementes!

A melhor herança que posso deixar aos meus filhos é um planeta saudável!”

De momento está envolvida com vários projectos de permacultura em Portugal e Espanha, nos quais desenvolve design, consultoria e formação em permacultura, Permacultura nas escolas com agenda 21, é membro do núcleo de expressão artística Circuito Explosivo, associação cultural onde desenvolve o projecto Ecoaldeia do Vale, regeneração de uma aldeia típica portuguesa.

 

 

Since her childhood, Sílvia has had a huge passion for country life, plants, seeds, animals, and people!

She studied botany and soil regeneration. She worked for a few years in the Sintra Natural Park where she learned and developed numerous skills, from propagating plants, collecting and preserving seeds, recognizing pests and diseases in plants (trees), historical gardening and  handling gardening, and agriculture machines.

She worked with 900 plant species from the flora of the region (Sintra) where half are Mediterranean species and about 10% are plants from different regions of the world, only found in specific areas. The rest are endangered plants that find the conditions to proliferate in the Sintra mountain range.

One of her main jobs is the collection and conservation of seeds of highly endangered species.

In 2008, Sílvia founded the environmental education project – Permacultura nas Escolas and since then has worked with several schools, agenda 21, inside and outside her community, together with several Municipal Councils (Lisbon, Almada, Sines, Mafra).

Along its path, she has developed several courses related to sustainability such as seed collection and conservation, regenerative agriculture, urban permaculture, permaculture in schools, vegetable gardens in small spaces, permaculture in the kitchen, production of natural handmade soaps, and various DIY workshops.

She has been involved in several community garden projects, has been actively and voluntarily involved in the campaign for free seeds, participating in the collection of traditional varieties from farmers.

The journey continued to Australia, at the Permaculture Research Institute, where she studied Earthworks in permaculture (movements or earthworks), humanitarian aid projects in permaculture, teacher training in permaculture, urban permaculture, seed collection and conservation, soil biology, composting, natural fertilisers, biodynamics, forestry, greenhouses, animal systems, food forests, urban gardens, organic farming, ecological architecture design, energy systems, aquaculture, community building, empowered fundraising.

She develops several courses in Portugal and other countries with other professors.

She has a huge passion for seeds and believes that the future of traditional varieties is their preservation and freedom for all seeds!

“The best legacy I can leave my children is a healthy planet!”

She is currently involved with several permaculture projects in Portugal and Spain, in which she develops design, consultancy, and training in permaculture, Permaculture in schools with agenda 21, she is a member of the artistic expression nucleus Circuito Explosivo, a cultural association where she develops the project Ecoaldeia do Vale, the regeneration of a typical Portuguese village.